áreas do conhecimento

Guia completo sobre as áreas do conhecimento que você precisa conhecer

É comum ouvirmos falar nas áreas do conhecimento, mas nem sempre é muito claro o que as define. Saber quais são as diferenças, as profissões, os estudos que envolvem e o perfil de quem segue cada uma delas é uma boa maneira de encontrar o ramo ideal para você.

Nesse sentido, existem as grandes áreas, que são mais gerais, das surgem as mais específicas. Elas envolvem os saberes humanos que já foram e ainda são construídos, o que permite que a nossa evolução seja constante. Além disso, fundam as ferramentas essenciais para a prática das profissões. Afinal, sempre são baseadas em estudos consolidados ao longo dos anos. 

Compreender o que são esses grupos ajuda em processos seletivos e na escolha de um curso, mas também é uma boa maneira de desenvolver seus conhecimentos gerais.

Quer saber mais sobre esse tema? Preparamos um guia completo com as informações que você precisa conhecer. Boa leitura!

O que são as áreas do conhecimento?

A definição das áreas do conhecimento organiza os saberes desenvolvidos pela ciência e tecnologia, o que permite a sistematização das informações. Isso é muito útil para as pesquisas, o ensino e a prática, entre outras vantagens. A classificação em níveis fica da seguinte forma:

  • nível 1 — grande área;
  • nível 2 — área;
  • nível 3 — subárea;
  • nível 4 — especialidade.

As instituições de pesquisa podem ter suas próprias classificações, que são usadas como referência nos projetos realizados. Além disso, com o avanço dos saberes desenvolvidos pela humanidade, as determinações podem ser alteradas. Entretanto, podemos diferenciá-las pelas afinidades teóricas e práticas.

Quais são as áreas do conhecimento?

De maneira geral, considera-se que as grandes áreas do conhecimento são humanas, exatas e biológicas. Há definições que trazem mais especificidades, as quais, geralmente, surgem dessas três bases. É o que vemos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), pois a avaliação apresenta quatro eixos temáticos. São eles:

  • Ciências Humanas e suas Tecnologias;
  • Matemática e suas Tecnologias;
  • Linguagens, Códigos e suas Tecnologias;
  • Ciências da Natureza e suas Tecnologias.

Além disso, como vimos, as instituições de pesquisa podem ter outras definições de áreas do conhecimento. Para o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que é vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, em sua árvore do conhecimento, existem oito áreas. Fica assim:

  • ciências exatas e da terra;
  • ciências biológicas;
  • ciências da saúde;
  • ciências agrárias;
  • ciências humanas;
  • ciências sociais aplicadas;
  • engenharias;
  • linguística, letras e artes.

Outro grande instituto pesquisas que adota essa classificação é a Fundação de Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Em sua tabela, são apresentadas oito áreas e uma multidisciplinar.

A área multidisciplinar também é muito importante, pois envolve estudos inovadores e propostas de instituições de ensino novas ou distantes dos grandes centros urbanos.

Note que, mesmo que exista uma variação na classificação, as definições seguem um padrão semelhante.

Por que saber as diferenças entre elas?

Quando você entende o que são as áreas do conhecimento, fica mais fácil compreender as ferramentas de estudo de cada uma delas. Além disso, é uma maneira de entender como os cursos surgem — afinal, existe uma íntima relação entre eles.

Assim, apesar das distinções, elas estão conectadas. A matemática, por exemplo, que faz parte das ciências exatas, surgiu da filosofia, que entra no grupo das ciências humanas. Os cursos, portanto, usam referências de outras áreas. Nesse sentido, apesar de cada formação ter as suas especificidades, o ensino pode ser interdisciplinar, o que enriquece o aprendizado.

Aqui, é importante ter em mente que não existe um juízo de valor em relação aos grupos, pois todos eles são fundamentais para a nossa vida e precisam sempre de novas pessoas dedicadas e interessadas a contribuir para o seu desenvolvimento.

Em avaliações como o Enem, os eixos temáticos também envolvem diferentes saberes. Por isso, é muito bom que se consiga ter uma visão mais completa a respeito dos temas, ainda que se guie por uma área específica.

Quais são as diferenças entre as áreas do conhecimento?

Agora que já conhecemos algumas definições dos grupos de saberes, é interessante compreender as particularidades de cada um deles, para que seja possível identificar as suas tecnologias. Dessa forma, consideraremos a classificação mais abrangente, com oito áreas do conhecimento. Conheça melhor cada uma delas.

Ciências exatas e da terra

As ciências exatas são aquelas que utilizam a matemática como base da sua formação. Para que atendam às necessidades da sociedade, envolvem outros saberes. Englobam a física e a química.

Ciências biológicas

Os conhecimentos desenvolvidos nas ciências biológicas estão relacionados aos tipos de vida: flora, fauna, humana e animal. Elas também servem como base para os estudos sobre a saúde.

Ciências da saúde

Têm o objetivo de oferecer os cuidados com a saúde de maneira geral. Nesse sentido, preparam profissionais e pesquisadores para que desenvolvam conhecimentos, tecnologias e atuem na atenção aos seres humanos. Como vimos, têm íntima relação com as ciências biológicas — inclusive, em algumas leituras, os cursos da saúde podem ser considerados da área biológica.

Ciências agrárias

As ciências agrárias cuida, da produção de alimentos, animais e soluções ambientais. Englobam cursos muito importantes para a nossa sociedade atual, já que é cada vez mais necessário desenvolver novas tecnologias, que contribuam para a sustentabilidade social. Têm como base os saberes das exatas e biológicas.

Ciências humanas

Os cursos de humanas são aqueles voltados a conhecer mais sobre o ser humano, sua história e seus desdobramentos. Têm como objetivo auxiliar as pessoas na compreensão do mundo e de si mesmas. Também envolvem conhecimentos das áreas de exatas e biológicas, pois lidam com tudo que se relaciona com os seres humanos.

Ciências sociais aplicadas

Derivam das ciências humanas, porém, com foco não no indivíduo, mas em suas relações em sociedade. Assim como a sua área-base, valem-se de conhecimentos exatos e biológicos para compreender e desenvolver soluções para a sociedade.

Engenharias

As engenharias são quase sempre consideradas ciências exatas. Porém, por causa da sua diversidade, elas contam como um grupo próprio. Engenheiros e pesquisadores do setor precisam lidar com conhecimentos sobre a natureza, a sociedade e mais. Portanto, ainda que a matemática seja uma base importante, ela não é a única.

Linguística, letras e artes

Esse grupo de formações estuda a linguagem, suas origens e histórias. Compreende diferentes maneiras de comunicação e de expressão, inclusive a artística.

Quais os cursos de cada área do conhecimento?

Depois de ver um pouco mais sobre as áreas do conhecimento, é provável que você já imagine quais são os cursos que fazem parte de cada uma delas. É bom saber quais são as possibilidades e os focos das formações, para avaliar com qual tem maior afinidade.

Para escolher entre as graduações, é preciso saber qual a diferença entre bacharelado e licenciatura. O primeiro tem foco na pesquisa e na atuação prática, enquanto o outro é voltado a quem pretende lecionar. Conheça alguns dos cursos que fazem parte dos grupos destacados.

Cursos de ciências exatas e da terra

Nesse grupo, estão algumas áreas que você estudou na educação básica e outras de que, provavelmente, já ouviu falar ou precisou em algum momento. As graduações são:

  • ciência da computação — estuda e atua, principalmente, no desenvolvimento de softwares;
  • estatística — lida com conhecimentos sobre a coleta e análise de dados. Pode realizar medições diversas em vários setores;
  • física — busca entender o universo e a natureza em seus fenômenos. O físico trabalha como pesquisador ou professor;
  • matemática — estuda as bases do desenvolvimento por cálculos e aborda diferentes segmentos, como tecnologia, informática e engenharia. O profissional pode lidar com a pesquisa ou dar aulas;
  • química — esse curso serve como base para outras áreas, como as da saúde e do ambiente. Também forma pesquisadores ou professores.

Cursos de ciências biológicas

As ciências biológicas procuram compreender os seres vivos e as suas relações com o ambiente. Geralmente, são introduzidas durante a formação básica, o que ajuda as pessoas a evitar doenças e compreender um pouco mais sobre o ambiente e o próprio corpo. Também são fundamental para a área da saúde. Conheça alguns dos cursos do domínio da biologia:

  • biologia — na graduação, se aprende sobre botânica, zoologia, anatomia humana e biodiversidade, entre outros temas importantes. O graduado pode dar aulas ou ser pesquisador;
  • biotecnologia — a base é a mesma da biologia, porém, estuda e desenvolve tecnologias que atendam a diferentes setores, como a saúde, ambiental, agrário etc. 
  • gestão ambiental — analisa os impactos ambientais causados pelas ações dos seres humanos e atua na procura por soluções mais sustentáveis e melhor uso dos recursos da natureza.

Cursos de ciências da saúde

Como mencionamos, as ciências da saúde surgiram das biológicas, e há quem não faça essa distinção. Elas desenvolvem conhecimentos fundamentais para o cuidado com a vida e o bem-estar das pessoas. Veja alguns dos cursos que fazem parte desse grupo:

  • enfermagem — os enfermeiros prestam todo tipo de cuidado aos pacientes e, ao lado dos médicos, cumprem a principal função no atendimento em saúde. Podem trabalhar com várias especialidades;
  • farmácia — a graduação prepara os estudantes para lidar com a análise de clínica, manipulação, medicamentos, cosméticos e outros cuidados com a saúde;
  • nutrição — avalia as características nutricionais dos alimentos e orienta as pessoas sobre as melhores práticas alimentares para a manutenção da saúde ou em objetivos específicos (emagrecimento, por exemplo);

Cursos de ciências agrárias

Com o crescimento populacional e as mudanças nos hábitos de vida e de consumo, é preciso elaborar soluções mais inteligentes para os setores de produção. Conheça um pouco mais sobre os cursos de agrárias, que também têm como base a biologia.

  • agronomia — atua nos diversos setores que envolvem a produção de alimentos para humanos e animais;
  • ciência e tecnologia de alimentos — busca as melhores formas de desenvolver, conservar e distribuir alimentos, com foco em sua segurança para o consumo;
  • medicina veterinária — age, principalmente, no cuidado com os animais. Trata e previne doenças, atua na indústria de produtos animais e lida com a prevenção de zoonoses;
  • zootecnia — a zootecnia está mais preocupada com a nutrição e o ambiente adequados aos animais. Um dos seus objetivos é torná-los melhores para o consumo humano.

Cursos de ciências humanas

O domínio de humanas tem sua importância na compreensão das relações entre as pessoas e no seu desenvolvimento adequado. Conheça alguns dos cursos do grupo:

  • filosofia — trata dos porquês das coisas, busca compreender criticamente o mundo e serve como base para outros conhecimentos. O profissional pode dar aulas ou trabalhar na pesquisa;
  • história — relaciona os acontecimentos de vários momentos da história e atua como professor, pesquisador e, também, na preservação de museus;
  • pedagogia — estuda as melhores práticas educacionais e pode lecionar para crianças e adultos ou trabalhar na administração escolar;
  • psicologia — o psicólogo é o profissional que lida com as dores e o desenvolvimento humanos. Tem muitos setores de atuação, como clínicas, escolas e empresas.

Cursos de ciências sociais aplicadas

Para lidar com diversos aspectos da organização da vida em sociedade, é preciso que existam profissionais especializados. Conheça os cursos de ciências sociais aplicadas:

  • administração — nessa carreira, trabalha-se com a busca de soluções em diversos setores. O foco está em obter melhores resultados e bom aproveitamento dos recursos. Pode-se trabalhar em empresas, órgãos públicos e outras organizações;
  • comunicação social — envolve muitas formações, como cinema, publicidade e propaganda, jornalismo e relações públicas. Lida com diversos aspectos da comunicação humana;
  • direito — a atuação exige bastante leitura, curiosidade e proatividade. O objetivo é a tomada de decisões com base nas leis vigentes. Tem um mercado de trabalho muito amplo;
  • economia — lida com o bom uso dos recursos financeiros em empresas, órgãos públicos e outras organizações.

Engenharias

Como vimos, por sua diversidade, as engenharias mereceram um grupo só para elas. Existem muitos setores atendidos pelos engenheiros. Conheça alguns dos cursos:

  • civil — trabalha com obras e construções tanto na projetação quanto no gerenciamento. O profissional busca soluções que garantam a segurança e praticidade dos espaços;
  • elétrica — lida com as tecnologias relacionadas à energia elétrica e prepara profissionais para diversos segmentos, como fornecimento de energia, telecomunicações e construção civil;
  • mecânica — atua na construção de sistemas mecânicos, criando ferramentas para diversos setores.

Linguística, letras e artes

Os cursos desse grupo têm o foco na compreensão e melhoria das formas de comunicação dos seres humanos. São originados das ciências humanas, porém, ganharam uma categoria própria. Conheça algumas opções:

  • artes plásticas — o profissional cria ou analisa obras de arte. Pode produzir em materiais como cerâmica, madeira, gesso e programas computacionais;
  • letras — estuda a estrutura e a importância das linguagens. Os profissionais podem se tornar professores, revisores, editores, entre outras funções;
  • música — trabalha com a expressão por meio dos sons. É possível atuar na reprodução e composição, dar aulas, participar de gravações etc.;
  • teatro — o curso de teatro prepara os estudantes para ser atores, dirigir peças, ser figurinistas, entre outros.

Como os diferentes perfis podem se encaixar nessas áreas?

Ao saber um pouco mais sobre as áreas, você consegue perceber com quais profissões tem mais afinidade. Apesar de nem todos os cursos exigirem algum conhecimento específico, é interessante observar o perfil esperado dos estudantes.

Com isso, você faz uma escolha mais consciente e tem maiores chances de encontrar a realização na sua profissão. Confira!

Perfil do aluno de ciências exatas e da terra

O principal critério para ingressar em exatas é gostar de matemática. Ter facilidade com cálculos não é uma exigência, mas ajuda bastante a encarar as matérias com mais tranquilidade. A criatividade e a inovação também são importantes, pois são profissões que sempre buscam encontrar soluções inteligentes.

Perfil do aluno de ciências biológicas

Os alunos desses cursos, normalmente, gostam do contato com a natureza ou com o ambiente de laboratório. A curiosidade é uma característica importante; afinal, as ciências biológicas envolvem descobertas constantes. Gostar de compartilhar o que sabe também é fundamental.

Perfil do aluno de ciências da saúde

Os profissionais da saúde são pessoas que gostam de cuidar e de ajudar os outros. Os cursos precisam de alunos dedicados aos estudos e ao trabalho, uma vez que lidam com a saúde e a vida de outros seres humanos. É importante estar sempre preocupado com o bem-estar do outro e se doar à profissão.

Perfil do aluno de ciências agrárias

Para se dar bem em agrárias, é importante ter afinidade com a natureza e com a indústria. Também é interessante ter boa comunicação, porque, com frequência, é preciso realizar negociações.

Perfil do aluno de ciências humanas

Estudantes de humanas, geralmente, são questionadores e reflexivos. Os cursos têm muita carga de textos; por isso, gostar de ler é um ponto importante. Ser curioso e observador são bons indícios de afinidade com a área.

Perfil do aluno de ciências sociais aplicadas

Os cursos são ótimos para quem gosta de se comunicar e tem perfil proativo. Ser persuasivo e conseguir identificar boas oportunidades são características interessantes para as ciências sociais aplicadas.

Perfil do aluno de engenharias

As engenharias, de maneira geral, envolvem muitos cálculos. Além disso, é importante ser criativo e saber empreender. Engenheiros estão sempre à procura de soluções mais modernas e eficientes para os setores em que atuam, o que significa que precisam ter um olhar inovador.

Perfil do aluno de linguística, letras e artes

A atenção aos detalhes e o gosto pelas artes são muito importantes para o perfil de alunos dessas áreas. A criatividade é um ponto central. Comunicação e expressividade também fazem parte da rotina desse profissional.

Como escolher a área do conhecimento ideal para seguir?

Na hora de tomar a decisão de qual área do conhecimento é a melhor para você, o mais importante é saber um pouco mais sobre o que estudam e quais são as possibilidades de atuação. Assim, se perceber a identificação com alguma delas, é interessante observar quais são os cursos e abordagens.

Além da formação principal, você pode participar de pesquisas e projetos mais específicos durante a graduação. Eles aproximam o indivíduo daquilo com que tem mais afinidade e proporcionam experiências práticas importantíssimas.

Além disso, alguns cursos são muito amplos — a enfermagem, por exemplo, conta com 60 especialidades registradas. Para resolver isso, a especialização pode ser conquistada por vários tipos de pós-graduação

Quando identificar uma formação que desperta o seu interesse, procure saber mais sobre ela, as instituições de ensino em que é oferecida e, também, os profissionais que já trabalham na área. As informações aumentam as chances de fazer uma escolha acertada.

Como cada área do conhecimento pode cair nas provas?

Como vimos, o Enem divide a sua prova em quatro eixos temáticos, que são as áreas do conhecimento que aprendemos na escola (ciências humanas, ciências exatas, ciências da natureza e linguagens).

Por isso, é bom saber os conceitos fundamentais dessas matérias, que são consideradas a base do nosso conhecimento. Trata-se de uma maneira eficaz de se preparar para o vestibular e ampliar o que você sabe.

Da mesma forma, por mais que exista uma divisão entre os grupos, a interdisciplinaridade é essencial. Isso, porque os saberes não são isolados, e, com frequência, é preciso valer-se de práticas de mais de um campo para encontrar as melhores soluções para os problemas.

Saber quais são as áreas do conhecimento, o que elas estudam e quais são as atuações de cada uma delas é importante para avaliar com qual se tem mais afinidade. Também é muito bom entender melhor sobre as profissões e as suas contribuições para nossa vida. Assim, você tomará uma decisão mais promissora para o seu futuro!

Gostou das informações deste artigo? Acompanhe mais dicas assim em nossa página no Facebook!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support