fake news sobre saúde

Fake news sobre saúde: o que são e como evitá-las?

Com a era da informação, ficou muito mais fácil compartilhar conhecimento e aprender sobre diversas áreas. Contudo, isso também foi responsável pelo surgimento de um novo problema: as notícias falsas. As fake news sobre saúde são bastante frequentes e podem expor as pessoas a sérios riscos.

Dessa forma, é muito importante compreender o impacto que as informações falsas têm na população, os seus perigos e como identificá-las. Assim, é possível manter os melhores cuidados com a saúde e não expor outras pessoas a conteúdos que podem ser prejudiciais.

Neste post, você entenderá os riscos das fake news sobre saúde, quais são as mais comuns que circulam na internet e como evitar uma notícia falsa. Boa leitura!

Quais são os riscos das fake news sobre saúde?

Quando se trata da saúde, é muito comum que as pessoas busquem informações na internet. Isso não necessariamente é algo negativo, afinal, com as orientações adequadas é possível manter melhores cuidados com o próprio corpo e identificar o momento de procurar ajuda profissional.

No entanto, é preciso ter muito cuidado com as fontes que são consultadas. Isso porque, a internet também conta com indicações erradas ou imprecisas e, até mesmo, notícias intencionalmente falsas.

Assim, podem indicar procedimentos que colocam o bem-estar em risco ou descartar a eficácia de procedimentos médicos que têm base científica e que são essenciais para a manutenção da saúde. Dessa forma, é fundamental ter cautela em relação às orientações encontradas na internet e sempre que tiver algum incômodo buscar primeiramente o auxílio de um profissional.

Quais são as principais notícias falsas sobre saúde?

Você provavelmente já viu na internet alguma notícia duvidosa sobre saúde. Confira a seguir algumas fake news que se tornaram muito populares e que podem ser bastante prejudiciais quando as pessoas acreditam em seu conteúdo.

Vacinas fazem mal

As vacinas são muito importantes para o controle e a erradicação de doenças. No entanto, possíveis efeitos colaterais de longo prazo começaram a circular na internet, o que tem feito com que muitas pessoas tenham medo de se vacinar.

É importante destacar que as vacinas são muito seguras e que todo o seu processo de elaboração é cuidadoso para prevenir prejuízos aos seres humanos. Algumas podem provocar efeitos colaterais leves e passageiros. Reações mais severas são raríssimas e tratadas como exceção. De maneira geral, os benefícios para a saúde pública superam as possíveis reações adversas.

Radiografias e tomografias causam câncer

As radiografias e tomografias têm uma emissão de radiação muito pequena, que não oferece risco a saúde humana. Porém, é importante ter cuidado para que a exposição não seja muito frequente. Nesse sentido, eventualmente realizar um exame com orientação médica é seguro.

Termômetro infravermelho prejudica o cérebro

O termômetro infravermelho capta apenas a radiação térmica produzida pelo próprio corpo. Dessa maneira, nada sai do aparelho. A luz vermelha é parcialmente refletida e a absorção pela pele é tão pequena que não tem poder de penetrar na cabeça de uma pessoa.

Curso técnico, tecnológico ou graduaçãoPowered by Rock Convert

Receitas caseiras combatem o coronavírus

Não existe receita caseira capaz de prevenir ou tratar a doença provocada pelo coronavírus. Assim, uma boa alimentação é importante para manter a imunidade fortalecida, mas a prevenção ainda é pelos cuidados de higiene e de distanciamento social. Em caso de suspeita de Covid-19, o melhor a se fazer é buscar atendimento médico.

Uso de smartphone causa câncer

Nenhum estudo comprovou as relações entre o uso de celular e o aumento das chances de se desenvolver algum tipo de câncer. A luz dos aparelhos pode provocar desconfortos como dor de cabeça e cansaço nos olhos, masnão existem dados científicos que fundamentem doenças ligadas a isso.

Como identificar e evitar as fake news?

Como vimos, as fake news sobre saúde são muito comuns e perigosas. Por isso, é essencial saber como identificá-las para evitar seu compartilhamento e orientar outras pessoas a não fazerem o mesmo. Veja algumas dicas de como detectá-las.

Desconfie de informações muito extremas ou milagrosas

A notícia é muito absurda ou oferece soluções simples e rápidas para problemas complexos? Trata-se de um indício de que aquela informação pode ser falsa. Procure em outros meios confiáveis para verificar a veracidade.

Leia a notícia toda e não apenas o título

Muitas vezes, o título de uma notícia tem a função de chamar a atenção e o conteúdo traz informações importantes para a melhor compreensão. Em outros casos, é possível perceber imprecisões no texto, que indicam que se trata de uma fake news. A dica para avaliar criticamente uma informação é olhar em diferentes referências, pois isso ajuda a ter uma visão mais imparcial.

Verifique as fontes da informação

A fonte da informação é fundamental para saber se ela é confiável. Por isso, observe a URL do site, veja quem escreveu aquele conteúdo e se apresenta algum dado que pode ser consultado por qualquer pessoa.Existem notícias falsas que citam estudos científicos inexistentes, portanto, é preciso ter atenção para o embasamento.

Da mesma forma, nas redes sociais existem pessoas que se identificam como profissionais da saúde e compartilham orientações. Nesses casos, observe se existe algum registro trabalhista ou vínculo com uma instituição certificada. Também é possível procurar na internet o Currículo Lattes, que detalha toda a formação acadêmica.

Confira a veracidade em órgãos oficiais

O Ministério da Saúde tem iniciativas de combate às fake news. Além disso, é importante consultar os órgãos oficiais sempre que se deparar com alguma informação sobre saúde. Se estiver em dúvida a respeito de alguma orientação que viu na internet, não compartilhe e consulte um profissional.

Denuncie fake news

As redes sociais contam com a possibilidade de denunciar conteúdo falso. Além disso, existem iniciativas públicas — como a do Ministério da Saúde já destacada — e privadas de combate ao problema. Alguns exemplos são: Boatos.org, criado por jornalistas e E-farsas, criado por profissionais de T.I. Ao denunciar você contribui para reduzir a desinformação na internet.

Portanto, é fundamental ter cuidado para evitar as fake news sobre saúde. Nesse sentido, analisar criticamente aquilo que vê na internet ajuda a adquirir informações de qualidade, que permitem preservar o próprio bem-estar e não propagar conteúdos que colocam outras pessoas em risco.

Tem dúvidas sobre as doenças que afetam a população? Entenda melhor as diferenças entre epidemia e pandemia

Powered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support